A Auditoria em Pesquisas Acadêmicas

0
856
Avalie!

As exigências recorrentes no contexto acadêmico

Quando se debate sobre os elementos que perpassam pela pesquisa acadêmica, há que se chamar a atenção para alguns aspectos essenciais ligados à temática. A fim de que seja possível compreender como se configura a auditoria no âmbito da pesquisa, julga-se que é importante compreender tanto o que é uma pesquisa científica quanto uma auditoria.

O intuito deste o post é o de apresentar alguns aspectos que dão forma às pesquisas científicas mais diversas, compreendendo os mais diversos tipos de trabalhos acadêmicos, uma vez que podem ser requisitados diversos formatos ao longo de uma jornada acadêmica.

É uma realidade comum aos pesquisadores imersos tanto no contexto da graduação quanto na pós-graduação. Como uma série de atividades podem ser requisitadas pelo professor, é comum que muitos alunos não saibam como começar o estudo. Procurar pela consultoria é uma boa estratégia.

O universo acadêmico e as suas principais características

Também é importante conhecer a fundo o universo ligado à consultoria acadêmica, que é o próprio ambiente acadêmico. A consultoria, embora volte-se, na maior parte das vezes, à execução dos trabalhos científicos, pode expandir as suas formas de contribuição. Isso se dá em virtude do fato de que o universo acadêmico está carregado de uma série de exigências e é natural não saber como coloca-las em prática.

Há, ainda, os pesquisadores que possuem problemas de relacionamento com os seus orientadores e, dessa forma, não conseguem desenvolver sozinhos as suas produções, recorrendo, portanto, à consultoria.

Há diversas atividades com as quais o pesquisador depara-se ao adentrar nesse universo, sendo as mais recorrentes a participação em eventos científicos comuns à área, a publicação de artigos científicos, participação em grupos de estudo, além do desenvolvimento do próprio trabalho.

A consultoria acadêmica e a sua relevância

Em razão de motivos diversos, incluindo-se os problemas de relacionamento com o orientador, o aluno que procura pela consultoria pode ter uma série de dúvidas que perpassam tanto o engajamento com a pesquisa quanto o desenvolvimento do trabalho.

No que toca à elaboração dos trabalhos, o consultor irá apresentar as principais características sobre o seu trabalho – TCC, monografia, dissertação, tese e artigo – e, a partir disso, outros aspectos da pesquisa científica podem ser definidos, como, por exemplo, o tema, o problema de pesquisa, os objetivos e a metodologia.

Além disso, muitos pedem auxílio no que toca ao processo de coleta e seleção de materiais relacionados ao tema que será debatido, com os aspectos estruturais do gênero – estrutura dos capítulos, conceitos a serem explorados, formatação e normatização, dentre outros. Pode-se realizar reuniões a fim de que conheça-se o tema.

Os trabalhos científicos e suas particularidades

Cada tipo de trabalho acadêmico possui as suas próprias exigências, sendo que elas tornam-se mais complexas à medida em que o nível pleiteado pelo pesquisador aumenta, de modo que o rigor de um TCC/monografia será menor do que o de uma dissertação ou tese. Apesar de o nível ser diferente, todo trabalho, para que se configure como científico, precisa atender a uma série de critérios para que tenha rigor científico e metodológico. No nível da graduação, os trabalhos mais exigidos são o TCC e a monografia. Esses trabalhos são menores do que as dissertações e teses, porém, ainda extensos.

Geralmente, o consultor apresenta a técnica da revisão de literatura e como os conceitos devem ser explorados para que o leitor tenha um panorama geral acerca do assunto pelo pesquisador. A revisão de literatura é um dos elementos que se manifestam em todo e qualquer tipo de estudo científico.

A revisão de literatura e a sua relevância

Todo e qualquer trabalho científico, mesmo aqueles que são mais práticos, logo, aplicados, precisam de um capítulo teórico. Na maioria das vezes, o pesquisador procura pela consultoria acadêmica ora porque não sabe como chegar aos materiais necessários à explanação do tema, de modo que o consultor irá lhe apresentar técnicas para a coleta e seleção desses dados. Ele também pode ter dificuldades para organizar esses conteúdos na forma de capítulos.

O marco teórico é um dos elementos obrigatórios, e, assim, o objetivo é o de, após essa coleta de materiais, a criação de vários capítulos e subcapítulos, respeitando as exigências no nível que está em jogo – graduação, mestrado ou doutorado – o que deve ficar claro ao leitor são os principais pontos que perpassam pelo assunto que está sendo debatido, de modo que, ao final da leitura, tenha-se um panorama histórico com os principais aspectos relacionados ao tema.

Os pilares da pesquisa científica

Na pesquisa científica, há alguns elementos decisivos que podem impulsionar ou impedir o desenvolvimento do estudo. É muito comum que o pesquisador que procura pela consultoria não saiba como definir esses pontos, o que impede a pesquisa de ser iniciada ou consultada. Devido à complexidade de tais pilares, cada um precisa ter as suas características devidamente apresentadas.

O primeiro deles é justamente o tema a ser debatido. Tema não deve ser confundido com o título, pois o título, para que seja criado, precisa partir de um tema.

O tema de pesquisa não pode ser escolhido de forma aleatória, visto que leva em consideração uma série de exigências da própria área e as demandas sociais que perpassam pela linha de pesquisa do aluno. Diante deste cenário, algumas variáveis são consideradas, como, por exemplo, a relevância social, o ineditismo, a inovação e a atualidade.

O problema de pesquisa

É papel do consultor, também, ajudar o pesquisador a chegar a um problema de pesquisa, caso ainda não o tenha. Sem um problema de pesquisa, não há como comprovar que o estudo em questão é importante para a sociedade atual em que se vive.

O consultor deve deixar claro ao pesquisador que o tema nasce de um problema de pesquisa, e, como tal, também precisa ser inédito, urgente, relevante e precisa exercer um certo impacto, seja na sociedade ou em um grupo em específico. Não precisa ser, necessariamente, um problema: analisar um fenômeno ou algo que é demandado pela sociedade, seja algo prático ou reflexivo, é crucial.

Pode ser que o problema em questão não tenha uma solução, o que não torna o estudo inválido. Alguns objetos de estudo propõem-se a atualizar a literatura sobre um tema ou, ainda, propõem uma nova visão científica em relação a um contexto. Ambos os problemas são essenciais.

Os objetivos de pesquisa

Nenhum estudo consegue ser executado quando não há caminhos a serem percorridos, isto é, metas, objetivos. Desse modo, na consultoria, após definir o tema e o problema de pesquisa, é necessário pensar nas estratégias que serão consideradas a fim de que esse problema seja solucionado (no caso da proposta da pesquisa ser solucionar o problema, comum em áreas mais práticas) ou refletido. Os objetivos de pesquisa dividem-se em dois. Por um lado, tem-se o geral, representado pela proposta geral da pesquisa, pelo problema adotado pelo estudo.

Na sequência, tem-se os objetivos específicos. Eles representam as estratégias que serão levadas em consideração para que o estudo ganhe um corpo. Cada tópico pode ser transformado em um capítulo ou subcapítulo. Esses objetivos também devem interligar-se à metodologia, pois, do contrário, o estudo não será exequível e, assim, ficará estagnado.

A metodologia na pesquisa científica

Também é comum que um pesquisador chegue à consultoria com todos os elementos acima bem definidos, porém, no momento de escolha ou da aplicação da metodologia científica, não possui aparatos, orientação. A metodologia científica, por si só, é um assunto bastante amplo.

O que é interessante de ser ressaltado é que cada estudo é único e pede por um tipo de metodologia. Estudos mais práticos relacionam-se melhor com metodologias que agem melhor nos trabalhos desse tipo, como é o caso, por exemplo, dos estudos e relatos de casos, clínicos ou não, da pesquisa-ação, da pesquisa de campo, dentre outras possibilidades.

Por outro lado, tem-se os estudos que são mais teóricos e que pedem por outras metodologias, como é o caso da pesquisa bibliográfica, dos estudos descritivos e explicativos.

O consultor irá apresentar as características relacionadas ao método escolhido e como as técnicas podem ser executadas.

O processo de coleta e seleção de dados

Uma outra vantagem em procurar pela consultoria científica é que o profissional conhece as técnicas mais avançadas e modernas no que toca ao processo de coleta, seleção e análise de dados.

Vive-se, hoje, em um mundo altamente globalizado, e, dessa forma, se antes havia a falta de informações, hoje, elas são excessivas, pois o fluxo diário de publicação de novas produções é muito intenso, o que faz com que, em muitas das vezes, não consiga-se lidar com tantas informações.

Selecionar os materiais que irão fornecer base teórica e metodológica para o estudo de forma aleatória pode comprometer a qualidade da pesquisa. Diante deste cenário, há uma técnica que tem sido bastante empregada: a da busca sistematizada e o estado da arte. A academia ainda é bastante resistente no que toca ao estado da arte, mas é uma ferramenta que pode ajudar o pesquisador a justificar a escolha de certos materiais.

A importância da busca sistematizada

Um dos principais aspectos modernos da pesquisa científica que o consultor de pesquisa acadêmica precisa levar em consideração é a ferramenta da busca sistematizada. Assim como o estado da arte, não se trata de uma metodologia de pesquisa, mas é uma ferramenta que pode ajudar o pesquisador a escolher a melhor metodologia para o trabalho, a entender como as técnicas estão sendo colocadas em prática e, ainda, quais são os conceitos que não podem ficar de fora do debate do tema delimitado.

É de suma importância que o método e os conceitos a serem escolhidos estejam ligados aos pilares da pesquisa científica. De forma geral, a busca sistematizada irá fornecer certos mecanismos ao pesquisador para que não escolha os seus materiais de forma aleatória, apenas digitando certas palavras-chave nos buscadores e escolhendo pelos primeiros resultados de pesquisa.

Técnicas da busca sistematizada

A fim de que os materiais não sejam escolhidos de forma aleatória, o consultor irá ajudar o pesquisador a adotar certos critérios de inclusão e exclusão para certos materiais. Irá orientar, também, acerca de onde procurar por esses materiais.

Cada área do conhecimento dispõe de bases de dados. Essas bases de dados são como bibliotecas, porém, funcionam de forma totalmente online. Todos os materiais que se encontram ali são de qualidade e passaram por uma análise bastante rigorosa. Contudo, há diversos materiais, de tipos diferentes – artigos, dissertações e teses – sendo que o desafio é saber escolher dentre tantas possibilidades. Surgem, daí, os critérios.

Os mais recorrentes são materiais que se encontram disponíveis na íntegra, isto é, que podem ser acessados e baixados de forma gratuita, materiais em língua portuguesa, materiais de um certo período e aqueles que ajudam a responder o problema.

O estado da arte

O estado da arte é uma ferramenta bastante moderna, e, dessa forma, não é aceita por todos os acadêmicos. É necessário que o pesquisador compartilhe um pouco acerca do perfil do orientador que o está auxiliando, pois professores mais tradicionais tendem a não aceitar muito bem certas estratégias de pesquisa, sobretudo os que se encontram a mais tempo na academia. Caso o orientador seja mais flexível, o estado da arte pode otimizar a pesquisa.

Trata-se de uma forma de justificar as escolhas feitas por meio da busca sistematizada. Desse modo, no texto, apresenta-se todos os critérios que fizeram com que certos textos fossem escolhidos em virtude de outros, como, por exemplo, o recorte temporal, o idioma escolhido, se o texto se encontra disponível na íntegra, objetivos em comum etc. Menciona-se quantos artigos foram encontrados com cada palavra-chave e em qual (is) base (s) de dado (s) encontra (m)-se.

As normatizações acadêmicas

Sem dúvidas, um dos principais elementos que impulsionam os pesquisadores a procurarem por uma consultoria acadêmica é a dificuldade para colocar em prática as regras e normas da instituição ou da revista na qual desejam publicar. As normas científicas são essenciais em todo e qualquer tipo de trabalho, pois tornam a leitura mais direcionada e clara ao leitor.

A fim de que essa leitura seja otimizada, uma série de regras precisam ser atendidas. Essas regras abrangem tanto a estrutura dos capítulos quanto os aspectos gráficos, como, por exemplo, o tipo e o tamanho da fonte para o corpo do texto e citações, a forma de citar, o espaçamento entre linhas, a configuração para as notas de rodapé, ilustrações, tabelas e afins, recomendações para a elaboração das referências bibliográficas etc.

O consultor também poderá revisar se as normas estão adequadas e aspectos da língua portuguesa.

DEIXE UM COMENTÁRIO, DÚVIDA OU SUGESTÃO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui